Monthly Archives: Janeiro 2010

Raça&Trad (DJV Sports, Ed. 18 – 25/Jan/10)


Prezado leitor, a última semana para o Guarani foi tensa. Na quarta-feira, houve um empate sofrido de 0x0 na casa do Linense. Depois, a delegação sofreu grande susto com um acidente com o ônibus no caminho de volta. Graças a Deus e à perícia do motorista Claudecir Tardivo (19 anos na profissão e 14 na Caprioli), ninguém ficou ferido.

No domingo veio o vergonhoso empate de 1×1 contra o Rio Preto, em casa. O time jogou mal e ainda não entendeu que os times da A2 sempre jogarão 110% contra o Bugre. A2 não é pré-temporada para a Série A! Joguem bola!

Neste 25 de janeiro, aniversário da capital, recordamo-nos da final da Copa SP de Juniores de 94, quando o Bugre foi Campeão contra a arbitragem e o São Paulo de Rogério Ceni, Jamelli e cia. O time empatou o jogo e venceu nos pênaltis (o goleiro Pitarelli defendeu 3). O gol de empate de Rubens (de falta) foi narrado para o Brasil pelo jornalista Oliveira Andrade, campineiro, no grito mais emocionado de todas as finais nacionais. Veja e ouça em youtube.com/watch?v=SyqbWyqf6IY. É impossível um amante do futebol não se arrepiar com o grito de gol de Andrade.

Eu tinha 20 anos e senti ali a emoção de ser campeão. Estudei muito sobre o título dos profissionais em 78, mas tinha só 4 anos na época e não senti a emoção (só o orgulho!). Tudo bem: tenho 36 anos ainda. Dercy Gonçalves viveu 103 anos e também só viu um time de Campinas ser campeão.

Fabrício Troncoso
ftroncoso@hotmail.com

Anúncios

A revista “DJV Sports” agora tem site!


E as edições anteriores estão todas lá!

Vejam em http://www.djvsports.com

Raça&Trad (DJV Sports, Ed. 17 – 18/Jan/10)


Prezado leitor, a semana foi movimentada para o Guarani. Nosso Sub-18 encerrou participação na Copa SP com virada heróica de 3×2 contra o Primeira Camisa. A eliminação veio em derrota incontestável para o badalado São Paulo. Ao menos, o Bugre encerra a Copinha sendo mais uma vez o time que melhor representa Campinas no futebol.

No time profissional, a luta começou: perdemos em Oswaldo Cruz e nos redimimos vencendo por 3×1 o São Bento no Brinco, com 2 gols de Ricardo Xavier, o matador real de Campinas. Isso sim é estréia em casa!

Aliás, passada a maquiagem que a rival fez na sua estréia, alerto novamente você leitor: NÃO ACEITE IMITAÇÕES. A maior torcida do interior do Brasil é a do Guarani. Na Série B 2009, ainda que com campanha superior (2ª x 11ª posição, fora o acesso), fomos no Brinco em média 7.390 torcedores por jogo, contra 3.294 da rival no dela. Seria por conta da campanha melhor? Claro que não: em 2008, a rival ficou em 5º lugar (i.e. disputou ‘empolgadamente’ o acesso) com média de só 3.650 torcedores e nós fomos 6.655 (na Série C!). Os dados estão no site da CBF (www.cbf.com.br).

Portanto, torcida real deve ser fiel em todas as situações. O resto é campanha que, em vez de ‘torcer’, só faz ‘DIStorcer’. Geração alguma será convencida de que não é mérito ser o ÚNICO Campeão Brasileiro do interior, chegar a 3 finais de Brasileiro, jogar 3 Libertadores, vencer mais dérbis, etc.

Raça&Trad (DJV Sports, Ed. 16 – 11/Jan/10)


Prezado leitor, nosso Guarani venceu também as 2 rodadas da semana na Copa SP de Juniores. São 3 vitórias e 100% de desempenho em Louveira. É uma classificação merecida! Neste domingo, assisti novamente com meus filhos a vitória de 2×1 contra o Fluminense/BA. Adorei Louveira: o sorvete custa R$ 1,50 no primeiro tempo e R$ 1 no segundo!

Atento às evoluções do futebol campineiro, registro que a 2ª equipe de Campinas que se classificou na Copinha é o Campinas FC (equipe fundada por reais ídolos e artilheiros bugrinos Careca e Edmar), desclassificando seu rival da cidade. Parabéns ao Campinas!

Ainda sobre ídolos reais do futebol, recordo que o Bugre já levou 2 atacantes à artilharia da Série A do Brasileirão: Edmar (1985, 20 gols) e Amoroso (1994, 19 gols). Torcidas: estes sim merecem bandeiras!

Nosso novo uniforme fornecido pela Lupo gerou polêmica. A torcida alega que ele é feio. Concordo parcialmente, mas entendo que se deveria relevar isso. Mais vergonhoso que uniforme feio é ser rebaixado perdendo do Mirassol (2009). Prioritariamente, o time é que tem que ser bonito! O resto é detalhe. A “bonitinha” Lotto já enterrou 3 rebaixados em 2009 (Coritiba, Sport e Santo André). O Bugre deve R$120 milhões e deve priorizar a qualidade do time e as finanças sustentáveis.

E o primeiro passo é, finalmente, o confronto de 13/Jan em Oswaldo Cruz. Jogando de pijama ou não, que venha a vitória!

Raça&Trad (DJV Sports, Ed. 15 – 04/Jan/10)


Prezado leitor, concentremo-nos nos desafios que o Guarani tem para 2010 e o futuro. O principal deles é a dívida estimada em R$ 120 milhões, oriunda das “administrações” anteriores. Dói no coração mas, serenamente, entendo que o Bugre terá sim que vender seu mais valioso patrimônio material para saldar esta dívida. Que se vá o estádio Brinco de Ouro, mas que se salve a instituição e a sua história vitoriosa. Em Campinas só nós temos direito de carregar uma estrela no peito!

Poucos sabem o que ocorrerá com o Brinco e como pararam as negociações. Porém, com o reaquecimento da economia, acredito que este será o ano da definição. Este palco, que já foi de glórias reais como 3 finais de Brasileiro (78, 86 e 87), 1 de Paulista (88), jogos de 3 Libertadores (79, 87 e 88) e 1 amistoso da Seleção Brasileira, pode ser a própria salvação da agremiação.

Penso que o projeto ideal seria uma permuta por um estádio novo, situado às margens de alguma das rodovias que cruzam Campinas, fora de seu esgotado centro. O Guarani equalizaria suas dívidas e reiniciaria a vida com patrimônio modernizado. Vida que nos ensina: para se encarar o futuro, temos que abrir mão de coisas queridas do passado.

Ainda sobre coisas queridas, estive este domingo em Louveira com meus filhos e vimos nossos Sub-18 ganharem de 1×0 do Rio Preto pela Copa SP, graças à excelente atuação do goleiro Vinícius Concon. Bom começo!

Fabrício Troncoso
ftroncoso@hotmail.com

%d bloggers like this: